Home Artigos Dr.Gustavo D. Magliocca – Medicina do Esporte

Dr.Gustavo D. Magliocca – Medicina do Esporte

SEDENTARISMO

Por: Gustavo D. Magliocca – Medicina do Esporte

Considerada a doença do próximo milênio, o sedentarismo caracteriza-se por um comportamento induzido por hábitos decorrentes dos confortos da vida moderna.

Com o avanço da tecnologia e a tendência cada vez maior de substituição das atividades ocupacionais por facilidades automatizadas, a evolução do Homo sapiens até então justificada pela Teoria da Evolução das Espécies de Charles Darwin, atualmente admite-se seguir a Teoria da Lei do Mínimo Esforço.

O sedentarismo é definido como a falta ou a grande diminuição da atividade física.

O conceito de atividade física caracteriza-se por qualquer atividade motora que demanda gasto energético, não estando associado necessariamente à falta de atividade esportiva.

Do ponto de vista da Medicina Moderna, o sedentário é o indivíduo que gasta poucas calorias por semana com atividades ocupacionais.

O comportamento hipocinético provoca literalmente o desuso dos sistemas funcionais.

O aparelho locomotor e os demais órgãos e sistemas solicitados durante as diferentes formas de atividade física entram em um processo de regressão funcional, caracterizando, no caso dos músculos esqueléticos, um fenômeno associado à atrofia das fibras musculares, à perda da flexibilidade articular, além do comprometimento funcional de vários órgãos.

Além disso, a vida sedentária é a principal causa do aumento da incidência de várias doenças crônico-degenerativas.

Hipertensão arterial, diabetes, obesidade, ansiedade, aumento do colesterol, infarto do miocárdio são alguns dos exemplos das doenças às quais o indivíduo sedentário se expõe.

Para deixar de fazer parte deste grupo estima-se um gasto calórico mínimo de 2.200 calorias por semana em atividades físicas.

Mas o que representa tal quantidade calórica semanal em nosso cotidiano?

Para facilitar as contas dos mais preocupados, a tabela abaixo representa o consumo calórico médio de algumas atividades inerentes ao nosso dia-dia.

 

 

Atividade 50kg 70kg 90kg
Pedalar 10km/h 160cal 240 cal 312 cal
Caminhar 5km/h 210 cal 320 cal 416 cal
Correr 15km/h 850 cal 1280 cal 1660 cal
Nadar 185 cal 275 cal 385 cal
Fazer sexo 160 cal 220 cal 320 cal

Tabela 1: Media aproximada de consumo calórico de acordo com o peso

Se você ficou impressionado com a quantidade de atividade sexual que deve ser realizada semanalmente para deixar de ser sedentário, existem várias outras possibilidades que podem ser adotadas de acordo com as conveniências de cada um.

A vida nos grandes centros urbanos com a sua automatização progressiva, além de induzir o indivíduo a gastar menos energia, geralmente impõe grandes dificuldades para ele encontrar tempo e locais disponíveis para a prática das atividades físicas espontâneas.

A falta de segurança, a carga horária de trabalho e o estresse do cotidiano acabam sendo obstáculos para quem pretende fazer atividades físicas. Diante dessas limitações, tornar-se ativo pode ser uma tarefa mais difícil, porém não de todo impossível.

As alternativas disponíveis muitas vezes estão ao alcance do cidadão, porém passam despercebidas.

Aumentar o gasto calórico semanal pode se tornar possível, simplesmente reagindo aos confortos da vida moderna.

Subir 2 ou 3 andares de escada ao chegar em casa ou no trabalho, dispensar o interfone e o controle remoto, estacionar o automóvel intencionalmente num local mais distante, dispensar a escada rolante no shopping center, são algumas alternativas que podem compor uma mudança de hábitos.

A atividade física regular e realizada com prazer é um recurso insubstituível na promoção de saúde e qualidade de vida. Praticar atividades físicas por um período mínimo de 30 minutos diariamente, contínuos ou acumulados, é a dose suficiente para prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida.

Portanto mexa-se!

Médico pela Universidade de São Paulo.
Especializado em Medicina do Esporte e do Exercício pelo Hospital das Clínicas de São Paulo.